Carolina Lopes: 5 anos sem câncer de mama

Bom dia, queridos leitores! Hoje tem mais um depoimento da nossa programação especial para Outubro Rosa. Quem nos presenteia contando um pouquinho da sua história é a Carolina Lopes! Vamos conferir?

Um pouquinho da história da Carolina Lopes:

“Meu nome é Carolina, aos 29 anos fui diagnostica com câncer de mama em estagio avançado o que foi descoberto através do desejo que colocar silicone. Na realidade no momento que foi fazer os exames para implantação das próteses os médicos não identificaram o nódulo, porém meses depois, não tento feita a cirurgia identifiquei através da inversão do bico do seio. O nódulo era maligno, realizei cirurgia de mastectomia total, assim como de 8 linfonodos, 5 estavam com metástase.  Foram 6 quimioterapias, 45 radioterapias e hoje sigo com acompanhamento regular, busco me alimentar de forma saudável e realizar exercícios físicos regularmente. O meu maior desejo é poder engravidar novamente e ter mais um filho, uma vez que o meu bebê esta com 17 anos!!! “

Nome: Carolina Lopes

Idade em que foi diagnosticada: 29 anos

Cidade e local onde fez o tratamento: Cirurgia de mastecmomia total foi realizada em Passo Fundo, quimioterapia em Carazinho e Radioterapia em Ijuí.

Qual tratamento fez/está fazendo: atualmente estou realizando somente acompanhamento através de consultas e exames, sem tratamento.

Profissão: Turismóloga

Nas horas de lazer eu gosto de: Estar com a família e amigos, viajar e ler.

Além do Cabelo: Você faz alguma atividade que acredite ajudar a manter seu corpo e mente  saudáveis?

Carolina: Realizo atividades físicas constantemente de forma alteradas como musculação, aulas de spinnig ou corrida.

AdC:  Durante o tratamento,  o que mais ajudou para que você se sentisse bem?

Carolina: Acredito que não buscar informações de forma precipitada referente aos tratamentos e efeitos colaterais foi a melhor coisa, o “não sofrer por antecedência” fez como que eu vivesse um dia de cada vez.

AdC:  O que fez você aceitar participar desta entrevista e dividir sua história com os leitores do blog?

Carolina: Acredito que mesmo com tantos recursos e meios de comunicação que auxiliam nos diversos meios de prevenção e tratamentos de câncer, ainda existe esta lacuna entre o paciente x ser humano, pois mesmo que todas as providencias sejam tomadas e tratamentos seguidos, não podemos esquecer de cuidar de nossa alma, do nosso bem estar e do nosso psicológico, o que certamente é extremamente importante para cada etapa ser vencida e o blog vem desenvolvendo isso.

AdC: Qual mensagem você gostaria de deixar para quem está enfrentando o tratamento?

Carolina: Receber o diagnóstico de câncer certamente não é a melhor forma de fazer planos e sonhar com o futuro, mas talvez seja a forma de rever os sonhos e fazer novos planos, planos realmente importantes para você, e mudar, muitas vezes para melhor…

Mutilar o seu corpo, perder seu cabelo, queimar sua pele, enjoar, enfraquecer-se…dores que muitas vezes nem “doem tanto” assim, comparadas com as feridas da alma…

Ter câncer é uma daquelas “coisas” que a gente não escolhe, mas depois que vence, agradece por ter passado tudo aquilo e ter aprendido, o que realmente importa!

Obrigada, Carolina,por nos presentear com seu depoimento! Desejamos uma vida repleta de alegrias, momentos especiais e muita saúde!

Fiquem ligados, durante TODO o mês de outubro histórias inspiradoras como a da Claudia serão postadas aqui no blog.

Beijinhos

Vivi e Flávia

Claudia Renata S. Xavier – 2 anos sem câncer de mama

Oi pessoal, tudo bem? Como prometido, iniciamos hoje a programação especial do blog para o mês de outubro- Mês de Conscientização sobre o Câncer de Mama-  com os depoimentos de quem já passou pelo tratamento! Quem compartilha sua história com a gente hoje é a Claudia Renata S.  Xavier!

esteeeeeeee

“Sou casada a 10 anos, mãe de um menino lindo de 04 anos, profissional na área da arquitetura, apaixonada pela vida, pela minha família e pelos meus amigos. Fui diagnosticada com Câncer de Mama, em estágio inicial,  em abril de 2013, quando tinha 35 anos. Achei que seria o fim! Mas tive ao meu favor, para me manter em pé, principalmente meu filho, minha família, bons médicos, bons amigos e boa cabeça para enfrentar a “fera”!  Logo fui submetida à cirurgia de mastectomia unilateral e após tratamento de 6 meses de quimioterapia, fui considerada curada! Hoje, depois de quase dois anos e meio da tempestade, curada, embora ainda as lembranças me causem náuseas e um aperto no peito, estou muito mais fortalecida, valorizo muito mais os momentos e as pessoas que realmente valem a pena e tento transmitir uma energia enorme e sincera para todas as pessoas que me cercam!”

claudia 01

Além do Cabelo: O que mais gosta de fazer nas horas de lazer?

Claudia:  Reunir a família e amigos para conversar e rir bastante.

AdC: Você faz alguma atividade,  na qual acredita,  que ajude a manter teu corpo e mente,  saudáveis

Claudia: Sim. Pratico exercício físico de musculação diariamente. Adoro!

AdC:  Durante o tratamento,  o que mais ajudou para que te sentisse bem?

 Claudia: o aconchego da família e amigos e principalmente a presença do meu filho, que na época tinha 02 anos!  Minha força maior para seguir em frente!

claudia 02

AdC: O que fez você aceitar participar desta entrevista e dividir tua história com os leitores do blog?

Claudia:  Na época em que estava em tratamento, lia muitos depoimentos de pacientes na batalha, pacientes já curadas, acessava blogs e sites sobre o assunto… e isso me estimulava e me dava força para passar por todas as dificuldades. Assim, com o meu depoimento, tentarei transmitir de maneira leve e positiva para as pacientes que estão passando pelos mesmos momentos , que não é fácil, mas passa!!!

AdC:  Qual mensagem gostaria de deixar para quem está enfrentando o tratamento?

Claudia: A caminhada do tratamento é muito dolorida, difícil, sofrida, mas tem fim! E tem CURA ! E quando tudo passa, a vida tem outro gosto, outra cor, outra beleza!

Obrigada, Claudia, por nos presentear com teu depoimento! Desejamos uma vida repleta de alegrias, momentos especiais e muita saúde!

Fiquem ligados, durante TODO o mês de outubro histórias inspiradoras como a da Claudia serão postadas aqui no blog.

Beijinhos

Vivi e Flávia

Mês Rosa Além do Cabelo

Sabe aquele ditado: Quem é vivo sempre aparece? Então,fazia um tempo que eu não escrevia para vocês aqui no blog, mas aqui estou, para matar a saudade e contar um pouquinho da nossa programação especial  para o mês de outubro.

Há muito tempo sabemos que outubro é o mês de conscientização sobre o Câncer de Mama, devido ao grande número de campanhas de prevenção à doença e cuidado da saúde da mulher!

outubro_rosa_blg_ligiadantas

Neste mês, todos os anos, nos deparamos com prédios iluminados com a cor Rosa, pessoas usando o laço rosa – símbolo do Outubro Rosa- nas roupas e muitas reportagens sobre o assunto. Que bom!!!!  E esperamos que em breve, vejamos mais cores, mais laços e mais reportagens nos meses dedicados a conscientização sobre outros tantos tipos de câncer!!

Aqui no blog,neste mês, teremos alguns depoimentos de pacientes que passaram pelo tratamento de câncer de mama! E também dicas e relatos de quem está passando por este momento.

                                            AGUARDEM

Acreditamos que compartilhar experiências é uma via de mão dupla: ajuda, conforta aquele  que lê a tua história e fortalece ainda mais aquele que escreve!

Eu também tive câncer de mama, já contei minha história para vocês-clique aqui- e sempre que tenho oportunidade falo sobre o lado positivo da minha experiência e quão a vida pode ser boa (e melhor) após um diagnóstico de Câncer!

Até breve,pessoal

Beijinhos Vivi

31 de maio: Dia Mundial sem Tabaco

E eu  não poderia deixar de contar as boas novas sobre este assunto!  Hoje em dia, em cada 10 brasileiros, um ainda é fumante,mas o índice de fumantes no Brasil caiu 30,7% nos últimos nove anos, anunciou o Ministério da Saúde nesta semana.  Ueba!!!!!

obrigada por nao fumar

Os principais motivos para a queda do consumo do tabaco no Brasil são a redução dos lugares permitidos para consumo-  proibição de fumar em ambientes fechados- e principalmente, o aumento do preço dos cigarros. Além é claro, de muitas campanhas, ações e programas que vêem sendo desenvolvidas pelo Ministério da Saúde em parceria com o Instituto Nacional do Câncer(INCA).

Estamos “carecas” de saber que fumar faz mal a saúde, e aumenta significativamente o risco de câncer! As mais de 4000 substâncias químicas( tóxicas) presentes no cigarro ainda causam danos a pele -envelhecimento-, maior risco de doenças cardíacas e pulmonares, tromboses, impotência sexual nos homens, danos na mucosa da boca e muitos outros males ao nosso corpo!

6a00e551b31df1883301a3fd078669970b

Mesmo quem não fuma precisa tomar cuidado, principalmente quem está passando pelo tratamento de quimioterapia, fase em que nossa imunidade está baixa, nossas mucosas mais sensíveis, e portanto maior chance de contrair infeções e algumas alergias!  Os chamados fumantes passivos, estão sujeitos às mesmas doenças que os fumantes. 

Gente, conheço pessoas que mesmo passando pelo tratamento do Câncer, não deixaram de fumar!

PORQUE DEVO PARAR DE FUMAR DURANTE E PÓS O TRATAMENTO ONCOLÓGICO?

“Em relação aos pacientes tabagistas que têm ou tiveram o diagnóstico de câncer, existem sólidas evidências que a manutenção do hábito de fumar compromete significativamente os resultados do tratamento, assim como aumenta os efeitos colaterais e riscos de desenvolverem uma segunda neoplasia posteriormente (3% ao ano). Devido aos efeitos maléficos do cigarro no sistema imunológico,  tabagistas que são submetidos a cirurgias para tratamento do câncer têm maior chance de desenvolverem complicações pós-operatórias (infecções, retardo na cicatrização, sangramentos, embolia e trombose) e apresentam uma maior taxa de mortalidade relacionada ao procedimento. O benefício da interrupção do tabagismo é visto mesmo naqueles pacientes que o fazem até 10 dias antes do procedimento. Da mesma forma, evidências apontam para uma maior toxicidade relacionada aos tratamentos de quimioterapia e radioterapia, acentuando seus efeitos colaterais”  (texto pesquisado no site oncomed- Belo Horizonte)

stop

Você pode pensar em parar de fumar  da mesma forma como aprender algo novo como, por exemplo, andar de bicicleta.  Você simplesmente não montou na bicicleta e saiu correndo pela rua da primeira vez. E com certeza você provavelmente caiu algumas vezes.  As quedas foram parte do processo de aprendizagem e todas as vezes que caiu, você aprendeu um pouquinho mais.  A mesma coisa acontece ao parar de fumar:  quanto mais você tentar, mais aprenderá o que o ajudará no caminho do sucesso.

O primeiro passo é tentar!!!!!!

Beijinhos e até mais!

VIVI

cacercolorretal

Os tumores do intestino atingem preferencialmente o cólon (intestino grosso) e o reto, apresentando maior incidência na faixa etária entre os 50 e 70 anos, mas podem se desenvolver mesmo em pessoas mais jovens. O médico proctologista é o especialista que atua na sua prevenção, diagnóstico e tratamento da doença.

Os sintomas estão relacionados com o sistema digestivo! Por isto é importante prestar atenção nas mudanças de comportamento do seu intestino:

20130517132609520393e

  • Presença de sangue nas fezes.
  • Sangramento anal seja em pequena ou grande quantidade.
  • Dificuldade ao evacuar.
  • Dor ou cólica abdominal sem motivo específico.
  • Ardência ou coceira anal
  • Diarreia de longa data.
  • Histórico de câncer colorretal na família.

Quais são os fatores de risco para o câncer colorretal?

Dieta com alto teor de gordura e pouca fibra, ingestão de carnes gordas assadas em carvão, frituras, manteiga, queijos amarelos, alimentos com corantes, alimentos salgados e defumados (lingüiças, salames, salaminhos) que liberam nitrosaminas no intestino, que são substâncias cancerígenas.

Falta de exercícios físicos.

Fumo e álcool: o consumo de ambos está relacionado com vários tipos de tumores, incluindo o câncer do cólon e reto.

Idade: quanto maior a idade, maior o risco. A idade é um fator de risco importante, o câncer colorretal é mais comum após os 50 anos, contudo a doença pode ocorrer em pessoas mais jovens.

História familiar de câncer intestinal: quanto mais pessoas de uma mesma família tiverem diagnóstico de câncer colorretal, maior o risco de se desenvolver a doença. Se o indivíduo tiver parentes próximos (pai, mãe, irmão, tios ou avós) que tiveram câncer de intestino, o risco de contrair a doença aumenta muito, especialmente se a doença acometeu um parente com menos de 40 anos de idade.

Antecedentes pessoais de outros tipos de câncer: Mulheres que tiveram câncer de ovário, endométrio (útero) ou da mama têm maior risco de desenvolver câncer colorretal.

Obesidade.
Como posso prevenir o câncer colorretal?

Assim como métodos preventivos para outros tipos de câncer, é interessante que o indivíduo tenha sempre hábitos de vida saudáveis, com alimentação rica em frutas, verduras, cereais integrais e exercícios físicos. Os alimentos ricos em fibras protegem o intestino porque facilitam a evacuação, aceleram o trânsito intestinal e diminuem o tempo de contato das substâncias carcinógenas (que levam a formação de câncer) com a parede do intestino.
A reflexão sobre o seu estilo de vida é sempre uma forma de prevenir qualquer tipo de câncer, pois ao buscar equilíbrio, você certamente atingirá uma vida saudável.

ARTETERAPIA!

Cada vez mais as terapias complementares, estão sendo utilizadas como aliadas ao tratamento do câncer! Expressar nossas emoções, seja através da fala, escrita ou arte, traz benefícios para a saúde física, mental.espiritual, fazendo com que se torne mais leve enfrentar todas as fases  pós diagnóstico!

 

emotions-36365_640

SÃO TANTAS MUDANÇAS DE HUMOR, NÉ!

 

Por isto vim contar um pouquinho da história de um grupo,que encontrou na Arte, a força para encarar a doença:Grupo ONCOARTE

foto_objetivos-1024x673

 

Formado por pacientes e ex pacientes(oncológicas), coordenado pela fisioterapeuta Iara Rodrigues, desde 2006, o grupo tem como missão transmitir uma mensagem de solidariedade, encorajamento, otimismo e conquistas frente a uma patologia tão perturbadora!

jmlanita_2

 

Em 2010, tive a felicidade de fazer parte deste grupo de mulheres, queridas amigas do peito – literalmente- ! Decidi entrar para encarar um outro desafio da minha vida: A timidez

E consegui! Dancei, fui atriz em peças de teatros! Me superei! 

E dividimos, muito além da experiência do câncer, momentos de alegria, de emoção,de amizade, de conforto! Pessoas que me mostraram os valores fundamentais da vida. 

GEDSC DIGITAL CAMERA

DIA DE APRESENTAÇÃO PEÇA TOCANDO A VIDA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

DIA DE ENSAIO!

Quando voltei à rotina, trabalho e aula, tive que deixar o grupo. Não consegui cumprir com os compromissos de ensaios e apresentações.

Acompanho sempre que posso. Carrego o carinho por cada uma comigo! 

A arte, assim como, outras terapias complementares, que estimule a expressão de sentimentos e a criatividade contribuem para que a gente se reorganize internamente.Resgatamos a confiança ,auto estima, sentimentos que liberam serotonina, responsável por atuar no humor, no nosso bem estar e no sistema imunológico!

Quer saber mais sobre o grupo Oncoarte, clique aqui. 

Hoje deixo um beijinho para meninas do grupo, em especial, à Iara! 

Até mais! 

Oi pessoal! Estou de volta por aqui! Primeiramente, Feliz Ano Novo!
Teremos um ano inteiro pela frente. É uma época em que repensamos nossas  atitudes, refletimos sobre a vida e planejamos quais serão as metas para os próximos 365 dias! É a hora também para  resgatar e colocar em prática algum objetivo que ficou para trás…lá na listinha do ano passado!
resoluções-de-ano-novo-2015-planejamento-foto-reproducao

VOCÊS JÁ TEM AS SUAS?

Antes de preparar a minha nova lista, fui atrás de uma meta antiga: Começar uma atividade física regular! Entrei para aula de Pilates, e apesar de der tido apenas 4 aulas, posso dizer que estou adorando e já percebo uma reposta positiva do meu corpo!

 

MAIS DISPOSIÇÃO E ALEGRIA NO ROSTO!

 

Uma dieta saudável, tratamento médico adequado e atividade física são essenciais,não só para quem já passou pela experiência do câncer, mas também para quem está enfrentando o tratamento, pois ajudará o paciente a  passar por esta fase com mais  qualidade de vida!

10787804_831893283530350_1218332290_n

A prática de esportes, nas mais diversas modalidades, estimula o sistema nervoso central a liberar endorfinas, substâncias que provocam a sensação de bem estar, contribuem para melhorar a oxigenação dos tecidos e a circulação e auxiliam no relaxamento das fibras musculares que, devido ao tratamento, podem ficar tensas. Sabe-se que as endorfinas liberadas também podem ter um efeito de analgesia, melhorando dores ou eventuais mal-estares. Ou seja, um Upgrade nos nossos dias!

DETERMINAÇÃO E FOCO, PESSOAL!

 

 A atividade física também pode ser uma ótima forma de socialização, de ocupar sua cabeça com pensamentos positivos e de garantir uma noite de sono mais tranquila.

É natural que, durante o tratamento, a pessoa fique menos disposta, por isso, é importante estar atento para não exagerar e forçar os limites do corpo. Faça caminhadas despreocupadamente, acelere o passo, corra, dance (ainda que sozinho em casa), caia na piscina. Pratique exercícios de relaxamento, como ioga, pilates, alongamento e meditação.

FB_IMG_1422969821945

Para saber que tipo de atividade você pode realizar, converse com seu médico. Mais saiba que, exceto algumas recomendações ou limitações específicas que possam existir, é muito importante, para o corpo e para a mente, fazer do exercício um hábito diário.

1236895_520756781336629_210708174_n

 

Quer uma dica? Chame  alguém querido para acompanhar,porque assim além do benefício físico, compartilhamos momentos de alegria e amizade!

Borá lá!?

Beijinhos a até mais!!